Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

the old soul girl

the old soul girl

12
Out19

books of 2019 #2

girl

Olá, olá, olá! Antes de mais, bom fim de semana a todos, espero que aproveitem ao máximo estes dois dias de descanso que não passam, voam! 

Volto para dar continuidade à lista de livros lidos este ano. Esta lista está em permanente atualização, porque nunca paro de ler e novos livros são adicionados constantemente. No entanto, vamos indo e vamos vendo (ou, neste caso, lendo!).

books1.4.jpg

11 e 12 - A morte do Comendador Vol. 1 e Vol.2 - Haruki Murakami - acho que Haruki Murakami merecia uma secção única, dedicada só a si. É dos meus escritores preferidos de sempre e sinto que não existem palavras suficientes para falar do quão incrível e talentoso este homem é. Já li vários livros da sua autoria e, se quiserem, posso dedicar-me, num outro post, a fazer uma espécie de top 5, na minha mais modesta e humilde opinião, está claro! Mas pronto, prosseguindo: A Morte do Comendador é uma obra que, para os leitores habituais de Haruki Murakami, não desilude, não desfaz expectativas. É uma obra de encontro, na medida em que voltamos sempre a reconhecer e reencontrar as características que o tornam num escritor tão singular: a solidão, a introspeção, o mundo fantástico que se cruza com o real como se fossem complementares, ambos lados da mesma moeda. Há tanta profundidade e simplicidade nesta obra, somos levados numa viagem tão alucinante que, a dada altura, já não sabemos sobre quem estamos a ler: se é sobre a personagem ou sobre fragmentos de nós mesmos. Vale mesmo muito a pena ler esta obra, dividida em dois volumes. Quando acabei o primeiro, o segundo ainda não tinha saído, pelo que um vazio instalou-se automaticamente: queria e precisava de saber mais sobre aquela história! Haruki Murakami é sempre uma aposta ganha e segura, acreditem.

13. Norwegian Wood - Haruki Murakami - não querendo entrar em repitação de tudo o que já escrevi anteriormente, mas, ao mesmo tempo, não podendo deixar de frisar novamente: leiam Haruki Murakami! Esta obra é uma boa opção para conhecer o autor e a sua escrita, pois lê-se mesmo muito bem, é uma história cativante e cheia de surpresas. Um romance contemporâneo que nos prende num segundo e só peca por terminar. 

books1.5.jpg

14. O Tatuador de Auschwitz - Heather Morris - este livro só é desconhecido para os habitantes de Marte. Está há imenso tempo no top de vendas e não é à toa: é incrível! Primeiro, tratando-se uma história verídica, o envolvimento com o livro é imediato. Sentimos logo, desde a primeira página, uma ligação com aquelas pessoas que não são personagens, são reais. Tudo que passaram não é, infelizmente, ficção. Depois, apegamo-nos a essas mesmas pessoas porque, embora tenham passado por tanto (tanta dor, tanta fome, tanto frio, tanto medo), nunca desistiram de lutar pela sua vida e pela dos outros. Os seus atos de generosidade, de amizade e amor podiam, tantas e tantas vezes, ser o caminho direto e rápido para a morte e, mesmo assim, estas pessoas nunca deixaram de agir por amor e nunca por medo. Acho que por mau, por muito horrível que todos saibamos que foi Auschwitz, nunca nos deixamos de impressionar pelos relatos do que por lá aconteceu e pelo que fizeram a tanta gente inocente. É sempre medonho, a barriga nunca deixa de se contorcer e um nó nunca deixa de se formar na garganta. Com este livro todas essas sensações são despoletadas; no entanto, também surge a esperança, a alegria, a força, a resiliência e a gratidão. Por isso, leiam esta obra prima, porque mais do que um excelente livro, trata-se de uma inspiração para a forma como cada um de nós vive esta tão magnífica dádiva que é a vida.

15. A Educação de Eleanor - Gail Honeyman - ora aqui está um livro que me fez agradecer o facto de ser persistente. Digo isto porque, tenho a confessar que no início não estava a gostar nada deste livro. Só pensava como a personagem principal, Eleanor, era estranha e como nada me fazia muito sentido. Mas a persistência (ou teimosia) falou mais alto e lá continuei. E ainda bem que o fiz, porque a dado momento a Eleanor, inicialmente estranha, começa a ocupar um lugar no nosso coração, dando cada vez mais sentido à expressão "primeiro estranha-se, depois entranha-se!", e começamos a compreender cada vez melhor o seu universo. Depois, à medida que vamos lendo e descobrindo mais, vão surgindo dois tipos de reação, díspares mas complementares: ora nos rimos que nem uns perdidos com as saídas da Eleanor, ora choramos com a sua fragilidade e história. Aconselho mesmo muito esta leitura, é uma verdadeira surpresa e garanto que não vos vai desiludir. 

books1.6.jpg

16. Eu e Eles - Kristan Higgins - uma curiosidade acerca da minha pessoa: quando leio um livro de um autor até então desconhecido e gosto muito, o meu primeiro instinto é ir imediatamente ver que outros livros existem da sua autoria. Foi o que me aconteceu com a escritora Kristan Higgins. Comecei por ler o "Bom demais para ser verdade" (ler em seguida para mais detalhes) e, como adorei, soube logo que queria ler mais desta autora. Assim, quando tive oportunidade lancei-me ao "Eu e Eles" e não fiquei nem um bocadinho desiludida. Sabem o que mais gosto nesta autora? A forma como nos dá a conhecer as personagens. É de uma mestria tão grande que, a dado momento, se torna muito difícil não pensar nas personagens como nossas amigas. Por isso é que sofremos com elas, sorrimos com as suas vitórias e deliramos quando todas as peças se encaixam. Esta obra é sobre o primeiro amor e como este pode durar uma eternidade. É sobre amar tanto, que apenas se quer o melhor para a pessoa amada, ao ponto de se pensar que essa pessoa merece tão mais e tão melhor que nós. É bonito e divertido, leiam!

17. Bom demais para ser verdade - Kristan Higgins - este romance também é tão delicioso! Novamente, personagens bem construídas, sólidas e divertidas, a par com uma história que, embora algo prevísivel, não deixa de ser maravilhosa. Aquele apontamento no final é tão querido, que só dá vontade de entrar dentro do livro e ser uma personagem da história. 

books1.7.jpg

18. Reencontro com o Amor - Melissa Pimentel - pronto, novamente a lengalenga que referi acima: descubro uma escritora nova, adoro o livro e vou à caça de todos os outros que já lançou. Este foi o primeiro livro que li da escritora Melissa Pimentel (que, inclusive, pensei ser portuguesa, mas não é). Estava de férias, foi uma ótima leitura light para descontrair e um bom romance. Achei que o início não foi muito promissor, mas à medida que fui conhecendo melhor as personagens, sobretudo as principais, comecei a gostar muito. O livro alterna entre o momento atual e o passado, o que é uma forma muito gira de descobrir a história e a evolução das personagens. No entanto, senti que o final foi muito ... como dizer ... atabalhoado? Um final que se esperava e que, por isso mesmo, deveria ter sido melhor construído. Em vez disso, acaba tudo muito rápido, sabendo a muito pouco. 

19. Procura-se homem (sem compromisso) - Melissa Pimentel - este está acabadinho de ler, terminei ontem à noite. E foi uma desilusão. Não sei se a autora tentou escrever a sua própria experiência através da lente de uma personagem, mas senti que a história está cheia de buracos. Temos uma personagem principal que, mal conhecemos, e já se está a lançar na experiência que suporta todo o livro: a de seguir livros guias de encontros para conhecer homens com quem passar um bom bocado. Entendemos que a personagem tem um passado, um passado importante para percebermos o seu momento atual, mas que nunca é aprofundado. Não sei explicar-vos, mas senti que foi um livro demasiado superficial e no qual não há desenvolvimento das personagens, o que faz com que não se consiga criar uma grande ligação com elas e com a história. É certo que tem momentos engraçados e, lá para o fim, começamos a sentir que conhecemos a Lauren (personagem principal) e que ela tem muito mais conteúdo do que aparenta, que tem uma personalidade forte e destemida, mas ainda assim ... Fiquei desiludida. 

E por hoje, no que diz respeito a livros, ficamos por aqui! Não sem antes agradecer à equipa do Sapo Blogs pelo destaque, que me encheu o coração de felicidade. Sobretudo por o destaque ter sido num texto escrito em jeito de desabafo, quase que vomitado (desculpem a imagem, mas entendam no sentido metafórico). Obrigada :)

 

06
Out19

books of 2019

girl

Como já referi, este tem sido um ano intenso no que diz respeito a leituras. Pensei que poderia ser giro e até útil para alguns leitores, partilhar os livros que li no decorrer de 2019, expondo a minha humilde opinião. Mas antes de iniciar, gostava de referir alguns pontos que acho importantes:

  • Muitos dos livros que leio e dos quais vou falar são romances - é o estilo literário de que mais gosto e que mais me faz sonhar. Sou uma romântica incurável, gosto de sonhar acordada, por isso, todos os livros que me permitem viver uma boa história de amor têm um lugar reservado na minha biblioteca.
  • Romance, romance e mais romance - sei que algumas pessoas se questionam como é possível gostar de um estilo que, muitas vezes, é considerado previsível e pouco inovador. No entanto, deixem-me que vos diga: existem muito poucas ou quase nenhumas histórias novas por criar. O segredo de um bom livro, a meu ver, não está tanto na ideia da história, mas na forma como esta é escrita, como as personagens nos são dadas a conhecer e como, a dado momento, pensamos nelas como parte integrante das nossas vidas, como se fizessem parte do nosso círculo de pessoas próximas. Os romances que leio prendem a minha atenção por isso: são histórias de amor bem construídas, com personagens bem desenhadas e aprofundadas que, frequentemente, ficam comigo muito tempo depois do livro terminar. Que me inspiram. Que me fazem pensar no mundo de forma diferente. Se o final é felizes para sempre, melhor.
  • Alguns destes livros são considerados livros para jovens adultos - uma categoria criada destinada a pessoal mais jovem. Digo-vos, desde já, que muitos dos livros que li inseridos nesta categoria ensinam-nos mais acerca do essencial da vida do que muitos livros destinados a adultos. Talvez porque é quando somos jovens adultos que grandes questões se colocam, este tipo de livros tem a capacidade de nos fazer mergulhar nessas questões difíceis e complexas com que todos nós, em algum momento das nossas vidas, já nos confrontamos. Já para não falar que nos faz regressar a um momento em que tudo é vivido com intensidade, uma intensidade que tantas vezes esquecemos nas nossas vidas adultas.

books1.1.jpg

1. Daisy e o Amor sem filtros - Anna Bell - este foi um livro pelo qual estava muito curiosa, pois já tinha lido o À conquista do teu coração da mesma autora, que adorei, e, talvez pelas expectativas serem tão elevadas, fiquei um bocadinho desiludida. Uma leitura light, agradável, mas sem nunca me sentir totalmente imersa na história ao ponto de ansiar por mais e ficar a ler até às tantas da noite. Ainda assim, um romance agradável, que, em tom de caricatura, mostra o quão viciados andamos todos na tecnologia e como isso nos impede tantas vezes de viver a vida real, fora de ecrãs.

2. Apartamento Partilha-se - Beth O'leary - um livro delicioso! Este sim, ocupou um lugar no meu coração: a querida Tiffy e o sensível Leon. Um romance cheio de peripécias, rico em personagens bem construídas e com uma escrita que nos envolve, fazendo-nos ler capítulo atrás de capítulo. Além disso, uma salva de palmas para a capa, que é mega fofinha! Adorei, um dos melhores romances que li este ano. 

3. Fala-me de um dia perfeito - Jennifer Niven - muitas pessoas têm algum preconceito com o estilo Young Adult (mais conhecido por YA) que, em português, não é nada mais do que estilo jovem adulto, um tipo de literatura dirigida a um público mais juvenil. Este livro vem acabar com todos esses preconceitos e ensinar uma grande lição: uma história, quando bem escrita, não se dirige a idades, acerta em cheio no coração de qualquer leitor. Violet e Finch ainda vivem no meu pensamento e já li este livro há alguns meses. Um livro intenso, em que tudo que aborda, desde amor, morte, vida, é feito de forma a eriçar cada pêlo do nosso corpo. O final ... posso dizer que ainda me estou a recompor. Fiquei com muita vontade de ler mais da autora, estando O universo nos teus olhos na minha wishlist. 

books1.2.jpg

4. Conta-me Três Coisas - Julie Buxbaum - novamente um livro YA que achei delicioso, envolvente desde a primeira página. É frequente este tipo de romances abordar várias tématicas para além da típica história de amor e, neste caso, fala-nos de perda e de como é difícil seguir com as nossas vidas quando algumas pessoas deixam de estar fisicamente presentes nelas. Gostei muito da história e da escrita da autora, o que me levou à próxima leitura:

5. O Projeto Acidente - Julie Buxbaum - convencida pela leitura anterior, quis imediatamente ler mais livros desta autora. No entanto, fiquei um bocadinho desiludida com esta história. Acho que não criei uma ligação forte com as personagens nem com a sua história. Ainda assim, é uma leitura agradável. Simplesmente não aqueceu o meu coração. 

6. Um Ateliê de Sonhos - Lucy Adlington - eis um livro que foge um bocadinho à típica história de amor e se foca naquele que é, a meu ver, o acontecimento mais trágico, vergonhoso e desumano da história: o holocausto. Este livro é tão tristemente bonito, sabem? Triste porque a cada página é como se nos dessem um murro em cheio no estômago, pois todas as atrocidades sobre as quais lemos foram reais, aconteceram há bem pouco tempo. Bonito porque está tão bem escrito e mostra como mesmo na maior das adversidades e do puro ódio pode nascer amor, amizade e felicidade. Para quem gosta de ler acerca do holocausto, recomendo este livro, mas preparem-se: não é apenas o final que vai arrebatar o vosso coração, é capítulo atrás de capítulo!

books1.3.jpg

7. A vida interior - Christophe André - entrando agora num registo que também adoro ler: desenvolvimento pessoal e bem-estar. Tudo que envolva autoconhecimento, regulação emocional e ser capaz de viver uma vida plena e com mais sentido prende a minha atenção. Este livro do psiquiatra e psicoterapeuta Christophe André é uma viagem que será única para cada leitor, pois viajará ao mais intímo de si. A escrita de Christophe André é deliciosa e o autor desenvolve capítulos curtos e leves, mas cheios de significado e beleza, pelo que é muito fácil ler o livro de uma assentada e sentir que precisa de mais. 

8. 3 Minutos para Meditar - Christophe André - ainda do mesmo autor anterior, mas desta vez um livro centrado na meditação. Este é um tema do qual falarei certamente muitas vezes no blog: meditação. Posso dizer-vos que é uma ferramenta que utilizo todos os dias, religiosamente, de forma a conectar-me comigo mesma, com as minhas emoções e permitir-me regressar ao momento presente, onde reside toda a tranquilidade. A cada capítulo deste livro somos convidados a desenvolver meditações diferentes, focadas em várias emoções, estímulos, pensamentos. Posso dizer-vos que somente ler as palavras de Christophe André é quase uma meditação em si mesma, porque este envolve-nos de uma forma tão serena, fazendo sentir que tudo é possível e que temos esse poder dentro de nós. 

9. Os óculos da Felicidade - Rafael Santandreu - ora outro autor que muito aprecio, este pela sua forma pragmática, simples e incrível de ver a vida: Rafael Santandreu. Este psicólogo espanhol é capaz de descomplicar em meros segundos o maior novelo de problemas que possa existir. E como o faz? Domesticando a mente e a forma como pensamos. Quando lemos este livro é impossível não adotarmos algumas ferramentas que o autor nos dá a conhecer ao nosso quotidiano, sentindo que para ser feliz é só mesmo preciso colocar os óculos certos com que olhamos o mundo. 

10. A arte de não amargar a vida - Rafael Santandreu - novamente um livro de Rafael Santandreu, no qual o autor centra novamente a sua atenção na maneira como os nossos pensamentos influenciam e ditam a forma como vivemos a nossa vida. Enganem-se se pensam que este autor enche capítulos como lemas como "pense positivo!". Muito pelo contrário, este psicólogo ensina técnicas cognitivo comportamentais que nos fazem desafiar todas aquelas crenças que damos como absolutas acerca de nós, dos outros e do mundo. No final, é impossível não sentir que somos nós os autores desta história que é a nossa vida e que chega de desculpas para não conquistarmos o que desejamos. 

Como a lista já vai longa, deixarei os restantes livros para outro post. Espero que vos seja útil!

P.S. - Todas as imagens foram retiradas do site wook, que é o principal responsável pela minha penúria financeira!

06
Out19

1

girl

Este ano tenho lido muito. Iniciei o ano com o objetivo de ler 12 livros, um por cada mês do ano, mas rapidamente compreendi que a fasquia estava baixa. Iamos a meio do ano e a meta dos 12 livros já tinha sido cruzada há muito. Subi para 24 e, com orgulho, posso dizer que, novamente, cruzei a meta. Mas mais do que orgulho, digo-o com felicidade. Uma felicidade que somente a leitura proporciona e que, por mais que tente, penso sempre ser difícil de explicar. Há muitas pessoas que não partilham o gosto por ler e não entendem a magia que acontece quando nos entregamos a um livro. Não julgo, logo eu, que tenho um namorado com paixões intensas pelas coisas mais estranhas. Mas quero dizer que, para quem não gosta de ler, dificilmente compreende a alegria, o aconchego e bem-estar que um bom livro provoca. Por vezes, é como um abraço; outras, é como se nos dessem uma possibilidade de por a nossa vida em stand-by e entrar noutras vidas, diferentes, curiosas, apaixonantes. 

Mas, dizia eu, que mais do que orgulho por ler tanto, sentia e sinto uma enorme alegria. Recentemente, tenho sentido ainda uma grande vontade de escrever. Escrever ficção, escrever o meu ponto de vista sobre tantos assuntos quotidianos, escrever sobre o que vai dentro de mim, simplesmente escrever. Tenho sido assaltada por uma vontade tão forte, tão intensa, quase como se se tratasse de uma necessidade, que decidi arranjar uma solução: criar, finalmente, um espaço para  o fazer. 

É assim que nasce este blog. Escreverei quando sentir vontade, sobre aquilo que fizer sentido, sem obrigações e deveres. Embora ame ler, não será o único assunto a abordar; contudo, preparo todos os possíveis futuros leitores de que existirá muito conteúdo focado em livros, desde wish lists, reviews de livros, citações marcantes, etc. Mas quero escrever sobre tudo. Quero, acima de tudo, escrever. Libertar tantas ideias e pensamentos que tenho guardados, à espera de ver a luz do dia. Estimular o meu lado criativo, dar asas à imaginação.

Quanto ao nome escolhido para o blog, posso garantir que assim que me forem conhecendo melhor, compreenderão como é possível uma pessoa tão jovem ter uma forma de viver e de olhar para o mundo tão envelhecida. Uma alma velha num corpo jovem é um desafio diário, mas é assim que sou e gosto muito de o ser. 

Enfim, primeiro post feito! Bem-vindos :)

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Desafio 30 dias de escrita

Arquivo

    1. 2023
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2022
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D